con_riojaneiro
Consulado General en Río de Janeiro - Brasil
DECLARACIÓN DE LA PRESIDENTA DEL PODER ELECTORAL DE LA REPÚBLICA BOLIVARIANA DE VENEZUELA, DRA. TIBISAY LUCENA LUGO PDF Imprimir E-mail
Escrito por CGRBVRJ   
Sex, 04 de Agosto de 2017 11:25
There are no translations available.

COMUNICADO OFICIAL

 

El Poder Electoral venezolano quiere informar sobre las graves declaraciones emitidas por el representante de la empresa proveedora del Consejo Nacional Electoral, Antonio Mugica.

Se trata de una opinión sin precedentes por parte de una empresa cuyo único rol en el proceso electoral es la de proveer ciertos servicios y soporte técnico que no son determinantes en sus resultados.

Última atualização em Sex, 04 de Agosto de 2017 11:28
Leia mais...
 
Venezuela repudia ilegais e imorais sanções do Presidente dos EEUU contra o exercício soberano e democrático do voto popular PDF Imprimir E-mail
Escrito por CGRBVRJ   
Sex, 04 de Agosto de 2017 10:39

COMUNICADO OFICIAL

 

A República Bolivariana da Venezuela repudia e protesta a decisão do governo dos Estados Unidos da América de impor sanções contra o Chefe de Estado venezuelano, Nicolás Maduro Moros, que consumam uma grave violação do Direito Internacional, e vulneram seus direitos humanos, configurando um ato inamistoso contra Venezuela. Igualmente rechaça as insolentes e imoderadas declarações do assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, H.R. McMaster.

Estas sanções constituem uma retaliação contra o Presidente Nicolás Maduro por ter convocado o processo eleitoral de maior magnitude dos últimos tempos na Venezuela, por aprofundar a democracia e a soberania mediante a ativação do poder constituinte originário, por ser um defensor da dignidade da América Latina e do Caribe, e por opor-se rotundamente à supremacia branca da Presidência estadunidense e seu racismo reivindicativo do Ku Kux Klan.

O povo venezuelano tem dado uma lição histórica de heroísmo, determinação e valentia, derrotando o assédio, ameaças e violência desatada pela direita venezuelana com apoio estrangeiro para impedir o exercício do direito ao voto que elegeu os Constituintes, que conduzirão a vida nacional mediante o diálogo maior e o entendimento constitucional em busca da paz e a independência nacional. Temos escrito uma nova página de glória em nossa história de liberdade e autodeterminação.

A sanção imposta pelo Departamento do Tesouro dos EUA contra o Chefe de Estado e de governo venezuelano constitui um ignominioso desconhecimento da legalidade internacional e pretende debilitar a soberania da República Bolivariana da Venezuela, hoje assediada por práticas de intervenção e desestabilização de sua governabilidade mediante a promoção de graves atos de violência e extremismo com fins políticos.

A República Bolivariana da Venezuela, ao expressar seu agradecimento aos países que transmitiram seu apoio e reconhecimento ao processo eleitoral constituinte, rechaça categoricamente os intentos de uns poucos governos de desconhecer seus resultados e somar-se às sanções imperiais, desafiando a vontade soberana do povo venezuelano e atendendo submissamente ordens estrangeiras.

A República Bolivariana da Venezuela exige respeito pela Pátria de Bolívar e Chávez, ao tempo que reafirma seu compromisso indeclinável e irrenunciável com a defesa dos mais altos valores pátrios para preservar a paz, o futuro e a soberania da Venezuela. 

 

Caracas, 31 de julho de 2017

Última atualização em Sex, 04 de Agosto de 2017 10:44
Leia mais...
 
A República Bolivariana da Venezuela repudia categoricamente as declarações do Diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos da América do Norte PDF Imprimir E-mail
Escrito por CGRBVRJ   
Qui, 27 de Julho de 2017 12:41

COMUNICADO OFICIAL

A República Bolivariana da Venezuela repudia categoricamente as declarações do Diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos da América do Norte, Michael Pompeo, e denuncia ante a Comunidade Internacional as agressões sistemáticas dos EUA contra Venezuela:

Última atualização em Qui, 27 de Julho de 2017 12:52
Leia mais...
 
REPÚDIO AO ERRÁTICO COMUNICADO EMITIDO PELO GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS CONTRA A PÁTRIA DE BOLÍVAR PDF Imprimir E-mail
Escrito por CGRBVRJ   
Ter, 18 de Julho de 2017 16:43
A República Bolivariana da Venezuela repudia o insólito comunicado publicado pela Casa Branca, ontem dia 17/07/2017.

Trata-se de um documento nunca visto antes, que por seu baixo nível e péssima qualidade, dificulta a compreensão intelectual das intenções do país agressor. Obviamente, o governo dos Estados Unidos está acostumado a humilhar a outras nações em suas relações internacionais e acredita que vai receber como resposta a subordinação à que está habituado. O fosso que o governo dos Estados Unidos está cavando em suas relações com a Venezuela dificulta uma racional predição de suas ações para toda a comunidade internacional.

O governo dos Estados Unidos mostra, sem pudor, sua parcialização absoluta com os setores violentos e extremistas da política venezuelana, partidários do uso do terrorismo para derrocar a um governo popular e democrático.

A ruína moral da oposição venezuelana tem arrastado ao Presidente Trump a cometer uma agressão aberta contra um país latino-americano. Não sabemos quem pôde ter redigido, nem muito menos autorizado, um comunicado de tanta pobreza conceitual e moral.

O fino véu democrático da oposição venezuelana tem caído, e revela a força brutal intervencionista do governo estadunidense, o qual tem estado detrás da violência sofrida pelo povo venezuelano nos últimos quatro meses.

Não é a primeira vez que denunciamos e confrontamos ameaças tão desatinadas como as contidas neste insólito documento.

Fazemos um chamado aos povos da América Latina e do Caribe, e aos povos livres do mundo, a entender a magnitude da brutal ameaça contida neste comunicado imperial e a defender a soberania, a autodeterminação e a independência, princípios fundamentais do direito internacional.

O poder constituinte originário está contemplado em nossa Carta Magna e só compete ao povo venezuelano. A Assembleia Nacional Constituinte será eleita pelo voto direto, universal e secreto de todas as venezuelanas e todos os venezuelanos, sob a autoridade do Conselho Nacional Eleitoral como o contempla nosso ordenamento jurídico. É um ato de soberania política da República, nada nem ninguém poderá detê-la. A Constituinte Vai!

Hoje o povo venezuelano é livre e responderá unido ante a insolente ameaça exposta por um império xenófobo e racista. O pensamento anti-imperialista do Libertador se encontra mais vigente que nunca:

 

            "Os Estados Unidos parecem destinados pela providência a infestar a América de miséria em nome da liberdade" Simón Bolívar
Caracas, 18 de Julho de 2017
 
Fonte: Embaixada da República Bolivarianda da Venezuela na República Federativa do Brasil
 
 

 
Última atualização em Ter, 18 de Julho de 2017 16:50
 
Comunicacdo Oficial sobre o rechaço à reunião de chanceleres do Mercosul PDF Imprimir E-mail
Escrito por CGRBVRJ   
Ter, 04 de Abril de 2017 10:45
There are no translations available.

ESCUDO DE VENEZUELA
 
A República Bolivariana da Venezuela manifesta seu categórico rechaço à reunião de chanceleres da Argentina, Uruguai e Paraguai, e o chanceler de fato do Brasil, celebrada hoje em Buenos Aires, que excedendo suas competências e atribuições, e persistindo na ilegalidade de violar a condição da Venezuela como Estado Parte do MERCOSUL, tomaram decisões contra a Venezuela à margem da legalidade e institucionalidade desta organização e do Direito Internacional.
 
Esta ação da nova Tríplice Aliança constitui uma nova tentativa para desconhecer os direitos da República Bolivariana da Venezuela, com plena capacidade jurídica dentro do MERCOSUL, e atenta novamente contra o sistema legal do bloco, afetando não somente a Venezuela mas toda a região, gerando montagens midiáticas que pretendem ser legitimadas sobre a base de um fraudulento consenso. Denunciamos à comunidade internacional esta grotesca ingerência que pretende minar a soberania da Venezuela.
 
Os chanceleres que se reuniram para discutir a "situação da Venezuela" protagonizaram uma cena dantesca. Um chanceler de fato, uma chanceler diminuída pelas criminosas políticas sociais e econômicas de seu país, um chanceler depois de escassas horas do assassinato de um dissidente político e repressão em massa nas ruas contra o povo, são apenas uma amostra do teatro de fantoches daqueles com grande hipocrisia e imoralidade condenam a Venezuela.
 
A Venezuela reitera, de maneira enfática, que seus assuntos internos só podem ser resolvidos pelas e pelos venezuelanos, sem ingerencismo de nenhum tipo, tal como expressamente está contemplado na Carta das Nações Unidas e inumeráveis instrumentos jurídicos internacionais. A direita regional intolerante, conformada em coalizão interventora, incita a opinião pública internacional e transforma um conflito de poderes perfeitamente normal em qualquer democracia vigorosa em grosseiras justificações para apoiar seu vulgar intervencionismo.
 
A República Bolivariana da Venezuela exige o fim da perseguição, do acosso e agressões contra o país e das tentativas de desestabilização adiantados por este clube de governos confabulados da região e alguns de seus porta-vozes, todos obedecendo mandatos imperiais, e faz um chamado aos povos a defender o MERCOSUL e a estabilidade política da Nossa América. O MERCOSUL nasceu, e se desenvolveu com os Gigantes do Sul, para a integração social e produtiva dos povos, para o crescimento compartilhado, o desenvolvimento conjunto e a solidariedade.
 
Caracas, 1° de abril de 2017
 
Fonte: Ministério do Poder Popular para as Relações Exteriores - MPPRE
Última atualização em Ter, 04 de Abril de 2017 10:49
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Página 1 de 21

Otras Noticias

TRAMITES
Logomarca ISAGS Venezuela 2
gobierno-en-linea
bot mensaje chavez
venezuelachevere