con_riojaneiro
Consulado General en Río de Janeiro - Brasil
Anita Prestes: Hay que mantener el legado de Hugo Chávez [Vídeo] PDF Imprimir E-mail
Escrito por TeleSur   
Miércoles, 13 de Marzo de 2013 08:46

La historiadora brasilera Anita Prestes comenta en reciente entrevista a TeleSur que es tarea de los revolucionarios latinoameriacanos y del pueblo de Venezuela mantener vivo el legado de Hugo Chávez.

Entrevista Historiadora Anita Prestes

Última actualización el Miércoles, 13 de Marzo de 2013 08:50
 
A Pátria Grande jamais se esquecerá de Hugo Chávez PDF Imprimir E-mail
Escrito por Granma Internacional   
Lunes, 11 de Marzo de 2013 14:50

 Líderes políticos expressam suas condolências pela morte do presidente bolivariano

PRESIDENTES e líderes políticos de vários países expressaram suas condolências pela morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com mensagens a sua família e ao povo da República Bolivariana.

“Estamos devastados pela morte do irmão companheiro Hugo Chávez”, comentou o chefe de Estado boliviano, Evo Morales, com voz entrecortada.

Chávez foi um “irmão solidário”, um companheiro revolucionário, um latino-americano que lutou por sua pátria, pela Pátria Grande, como também fez Simón Bolívar”, acrescentou ao anunciar sua viagem a Caracas para participar do funeral e decretar luto nacional de uma semana.

Em Brasília, a presidenta Dilma Rousseff descreveu Chávez como “um grande latino-americano”  cuja morte “deixa um vazio na região”.

“Reconhecemos em Chávez um grande líder, e, sobretudo, um amigo do Brasil”, sua morte foi “uma perda irreparável”, disse Rousseff.

Por sua vez, o ex-presidente e atual líder do Partido dos Trabalhadores do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que “neste dia tão triste, tenho confiança em que seu exemplo de amor à pátria e sua dedicação à causa dos menos favorecidos continuarão iluminando o futuro da Venezuela”.

A presidenta da Argentina, Cristina Fernández, também anunciou que viajará a Caracas e decretou três dias de luto nacional, em homenagem ao presidente Chávez.

Igualmente, o chefe de Estado do Equador, Rafael Correa, decretou três dias de luto nacional no país andino, pela morte do presidente venezuelano, que — afirmou — “continuará mais vivo que nunca, inspirando as revoluções na América Latina.

Na Nicarágua, realizou-se uma homenagem na Praça da Revolução de Manágua, liderada pelo presidente, Daniel Ortega, e pela primeira dama, Rosário Murillo, onde afirmaram que Chávez continuará vivo entre os homens e mulheres da América Latina e o Caribe.

Entretanto, o presidente uruguiao, José Mujica, expressou sua confiança “no povo venezuelano”, no seu governo e na “fortaleza dessa democracia” da qual Chávez “foi um grande construtor”.

O presidente chileno, Sebastián Piñera, transmitiu seu pesar pela morte do líder bolivariano e afirmou que sempre soube apreciar “a força, o compromisso, com o qual o presidente Chávez lutava com suas ideias”.

No El Salvador, Mauricio Funes, enviou uma carta de condolências ao vice-presidente executivo, Nicolas Maduro, onde qualifica o líder da Revolução bolivariana como “um patriota, um homem de pensamento e acionar transformador, que governou para seu povo e mudou a realidade de desigualdade e exclusão que sofria” antes de sua chegada a Miraflores.

O ex-presidente de Honduras, Manuel Zelaya, afirmou que “hoje Hugo Chávez passa a esse lugar dos homens que nunca morrem, porque estão no coração do povo latino-americano”.

Os governos da Colômbia, Haiti, México, Guatemala, Peru, Paraguai, República Dominicana, Costa Rica e Jamaica também expressaram suas condolências pela morte do líder bolivariano e se solidarizaram com sua família e seu povo.

Da mesma maneira, o ex-presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, enviou suas condolências à família de Chávez.

Da Europa, o presidente francês, François Hollande, expressou seu pesar ao povo venezuelano e afirmou que Chávez “marcou profundamente a história de seu país”.

Entretanto, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, ofereceu seu “profundo pesar” ao povo venezuelano. (SE)

 

 

Última actualización el Lunes, 11 de Marzo de 2013 14:51
 
“Perdemos o nosso verdadeiro comandante”, diz Sargento Soares PDF Imprimir E-mail
Escrito por Corrente Comunista Luiz Carlos Prestes (CCLCP)   
Lunes, 11 de Marzo de 2013 14:48

A morte do líder latino-americano Hugo Chávez levou o deputado Sargento Amauri Soares a fazer um pronunciamento em sua homenagem no Plenário da Assembleia Legislativa, na tarde de quarta-feira, 06/03. “O povo pobre da America Latina perdeu o seu comandante”, disse sobre a importância do ex-presidente para o povo venezuelano e o latino-americano. “Eu e um contingente de militantes populares estamos de luto e sentimos que perdemos efetivamente o nosso verdadeiro comandante”, afirmou.

O deputado falou sobre as análises feitas sobre o governo bolivariano nos últimos anos no Brasil, nas quais a classe economicamente dominante “foi incisiva no objetivo mordaz de satanizar Chávez”. “Fala-se em falta de democracia na Venezuela sob comando de Hugo Chávez, mas em nenhum outro país do mundo houve tantas eleições quanto na Venezuela dos últimos 15 anos. Eleições, referendos, plebiscitos, sempre o povo chamado a tomar decisões importantes para o país”, disse.

O parlamentar também destacou a efervescência cultural e política da sociedade venezuelana durante o governo de Chávez. “Em poucas sociedades do mundo houve tanto debate político quanto na Venezuela. Em nenhuma sociedade latino-americana o debate foi tão intenso e feito por uma quantidade tão grande de pessoas”, afirmou.

O deputado condenou aqueles que chamam seu governo de “populista”, por usar o petróleo para melhorar a vida da maioria da população. “Os governos anteriores de direita exploravam esse petróleo para enriquecer alguns magnatas e para a luxúria de uma casta de burocratas que orbitavam a Pdvsa [empresa petrolífera venezuelana]”, explicou.

Sobre o futuro da revolução bolivariana, Sargento Soares acredita que o movimento vai continuar forte e o atual vice-presidente, Nicolás Maduro, será eleito presidente em nova votação, conforme prevê a Constituição venezuelana, em caso de vacância no poder.

O movimento político do qual Hugo Chávez faz parte começou com uma revolta popular de grandes proporções, chamada de “Caracazo”, que foi reprimida pelo Exército, em 1989. Depois de agir contra a população um grupo de jovens oficiais, entre eles Chávez, decidiu que nunca mais os militares seriam usados para “reprimir o povo”. “A partir disso surgiu o levante de 1992 e a vitória eleitoral em 1998”, contou o deputado. “Como praça da Polícia Militar gostaria muito de que houvesse no Brasil um coronel ou general do status de Hugo Chávez para que a gente tivesse efetivamente um comandante a seguir”, afirmou.

Assista íntegra do pronunciamento:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ycRvEZJBSng

Última actualización el Lunes, 11 de Marzo de 2013 14:50
 
NOTA DO PT DO BRASIL PDF Imprimir E-mail
Jueves, 07 de Marzo de 2013 10:28

O Partido dos Trabalhadores lamenta profundamente o falecimento de Hugo Chávez, presidente da República Bolivariana da Venezuela, destacado protagonista da integração de Nossa América e uma liderança mundial das forças populares.

 Em 2012, Lula disse a Chavez: "tua luta é nossa luta, tua vitória será nossa vitória".
 
Hoje, neste momento de tristeza e dor, abraçamos os familiares, amigos, colegas de farda e camaradas de crença de Chavez, e dizemos: contem conosco, contem com o Partido dos Trabalhadores, para dar prosseguimento às grandes conquistas políticas e sociais iniciadas pelo governo de Hugo Chávez.
 
Saudações petistas a este herói da América Latina e Caribenha.
 

Rui Falcão, presidente nacional do Partido dos Trabalhadores
Iriny Lopes, secretária de relações internacionais do PT
Marco Aurélio Garcia, do diretório nacional do PT
Valter Pomar, do diretório nacional do PT


Última actualización el Jueves, 07 de Marzo de 2013 10:41
 
DUELO MILITANTE PDF Imprimir E-mail
Escrito por Jubileo Sur/Américas   
Jueves, 07 de Marzo de 2013 10:16
La Red Jubileo Sur/Américas lamenta entrañablemente el fallecimiento del Presidente de la República Bolivariana de Venezuela, compañero Hugo Chávez Frías. Los pueblos de las Américas reconocemos en él a uno de los principales paladines de la lucha contra el imperialismo y a uno de los pilares fundamentales del fracaso del Área de Libre Comercio que los Estados Unidos querían imponer en resguardo de sus intereses económicos y geopolíticos.
 
Sin lugar a dudas, el destino de América Latina y el Caribe hubiera sido muy distinto si en 1998 no hubiera aparecido una figura como la de Chávez, fruto de una etapa histórica de movilizaciones y luchas sociales por alcanzar ese otro mundo posible con el que continuamos soñando. Fue él quien en soledad, en el año 2001, se opuso con alma y cuerpo a las intentonas neoliberales de avasallar la soberanía política y financiera de nuestros pueblos con la imposición del ALCA.
 
Los procesos de integración vigentes reconocen también en él a uno de sus principales impulsores en concretizar el sueño de nuestros Libertadores, de Bolívar y San Martín, de construir una Patria Grande libre y soberana. Allí están las iniciativas del Banco del Sur, de la UNASUR, del fortalecimiento del MERCOSUR, de la constitución de la CELAC, de la defensa de nuestra región y acompañamiento solidario a nuestros países.
 
Nuestras condolencias a la familia y al pueblo venezolano en este momento que les toca transitar. Las organizaciones y movimientos sociales continuamos acompañando el proceso bolivariano, convencidos que ¡Chávez vive y la lucha sigue!
 
¡Comandante Chávez, presente, ahora y siempre!
 
Jubileo Sur/Américas
Última actualización el Jueves, 07 de Marzo de 2013 10:37
 
<< Inicio < Prev 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fin >>

Página 10 de 20

Otras Noticias

TRAMITES
gobierno-en-linea
bot mensaje chavez
RIO2016
venezuelachevere